Arquivo do mês: abril 2009

Complicar é mais fácil?

É tudo uma questão de cabeçaMinha experiência de vida ainda é pequena, quando comparada com outros bem mais vividos e vividas. 

É verdade que passei por alguns momentos de grande aprendizado, principalmente aqueles relacionados com as situações mais difíceis.

Entendo que as piores situações são as que envolvem a saúde. Quando não estamos inteiros, tudo fica mais difícil. A reação é dificultada. A pior situação é quando queremos dar a volta por cima, mas não podemos comer FEIJÃO ou fazer exercícios físicos. Aí, é quase impossível se recuperar!

Já percebi que as reações são relacionadas diretamente ao perfil psicológico de cada ser humano. Alguns se abalam profundamente e vivem intensamente o sofrimento. Outros superam rapidamente as dificuldades, parecendo que até não ocorreu qualquer problema.

Entre esses dois extremos está todo o mundo, inclusive os que acreditam que o mundo está contra, o tempo todo.

Em graus variados, as pessoas estão posicionados entre os dois limites.

E boa parte da felicidade é decorrente disso.

Se ficamos abalados com mínimas questões, sobra pouco tempo para ser feliz.

Todas as demais questões, aprendi que são passageiras. Dinheiro, satisfação, saciedade, problemas de relacionamento, família, derrotas, vitórias, medos, angústias, inseguranças, fome, sede, êxtase.

Viver a vida é saber administrar as alegrias, as tristezas, a saúde e a doença. 

Quando temos avós, pais, mães, irmãos, tios, primos, filhos, netos, amigos, colegas, ou seja, SEMPRE, isso tudo não é apenas válido para nós mesmos, mas também com quem gostamos.

Dá um trabalho enorme, mas acho que aí está a graça de tudo.

Rotina e Motivação

Disciplina é liberdadeSeguir em frent nem sempre é facil.

A vida apresenta constantemente desafios.

Às vezes desanima. Dá vontade jogar tudo para o espaço.

Mas precisamos perceber que a rotina,mesmo com as dificuldades, é importante, dita o ritmo. Pode ser abandonada a qualquer tempo. Aí está a graça. Nós definimos quando seguí-la, mesmo que tenhamos que manter a linha.

Recentemente, fotografei esse beija-flor na janela da minha cozinha. O vento estava forte. Estava difícil de beijar cada flor, mas o conhecimento profundo da rotina, das obrigações, o controle do desejo foi mais forte. O vento afastava e isso servia de estímulo para o bater das asas mais forte.

Que nossas vidas possam ser repletas dessa sabedoria.