Arquivo do mês: setembro 2009

Falta de energia. Logo hoje?

Nos últimos 10 anos, a seleção brasileira de futebol só veio a Salvador duas vezes. Em 1999, estive na Fonte Nova para ver um 2×2 com a Holanda.
Hoje, não fui a Pituaçú porque uma onda de violência estava assustando a cidade e minha esposa gestante ficou preocupada. Além disso, os ingressos acabaram no primeiro dia, quem prometeu uma cortesia não cumpriu e eu teria que morrer na mão de cambistas, categoria que detesto.
Fiquei em casa, botei as cervejas para gelar, vi o jogo entre Paraguai e Argentina, acompanhei tudo sobre a movimentação do jogo e minha filha me acompanhou na comemoração dos dois primeiros gols, com intensa participação do colorado Nilmaravilha.
Depois disso, faltou energia elétrica em parte do meu bairro (Itaigara) e fui privado do direito de ver o meu time jogar. É muita incompetência!
Ao longo do dia, convivi com inúmeras demonstrações de falta de preparo em algumas atividades, mas o jogo da seleção é sagrado.
Vivemos em uma sociedade com diversas limitações educacionais, com impacto na vida de toda a sociedade.
Sei que a Seleção veste a camisa da CBF-Nike, que os interesses são muito fortes, mas não consigo deixar de torcer.
Será que a demora em resolver é porque a Coelba foi privatizada?
Será que se o Governo da Bahia cuidasse seria melhor?
Que recompensa mereço por deixar de ver o primeiro jogo da Seleção em Salvador da vida da minha filha?
Ela foi dormir, sobre protestos.
Vontade de gritar.
Será que alguém ainda quer ouvir?
Mais fácil achar que tudo vai bem e torcer pelo Sarney, que é muito parecido com o Ricardão Teixeira.
Editado: depois fiquei sabendo que o Chile empatou e Nilmar fez mais dois gols. Acabou 4×2.
Acordei com raiva. Mas o dia foi bom.